Total de visualizações de página

Páginas

quinta-feira, 20 de maio de 2010

EU SOU A VOZ

Jo. 1.19-23

INTRODUÇÃO

O texto bíblico relata que uma comissão de fariseus encontrou-se com o profeta para elucidar uma dúvida que atormentava os líderes religiosos judeus: Quem era João, o batista.
Aquela comissão, juntamente com a seita dos fariseus, estava intrigada sobre esse tema. Afinal depois de quatrocentos anos um profeta pregava, fazendo renascer a chama do Espírito de Deus que se apagara no meio de seu povo.
A dúvida deles era se João seria, o Messias, ou o profeta Elias, ou o Profeta; aquele que Moisés anunciara e que seria semelhante a ele (Dt 18:15-19)
As respostas de João deixaram os fariseus ainda mais confusos: Eu não sou o Cristo, eu não sou Elias, eu não sou o Profeta! Ele frusta a expectativa dos enviados que ficaram sem a resposta que tanto desejariam ter. Então, 0s pobres emissários de Jerusalém acabaram por suplicar a João: Por favor, não podemos voltar aos nossos superiores sem uma resposta. Diga-nos, enfim, quem é você! (v. 22).

Finalmente, João responde quem era. Ele era sua própria missão. Observe bem que ele não se qualifica como pessoa, mas o faz vinculado a missão que recebera de Deus. Ele e a missão são um só. Ela era razão da sua existência; então prontamente diz: Eu sou a voz.
Aqueles que o interrogavam ficaram decepcionados. Esperavam mais dele. Esperavam que fosse mais importante do que isso. Esperavam que alguém como ele fosse se denominar com algo muito mais significativo do que simplesmente "a voz". Afinal, o que é "a voz"? O que isso quer dizer?
Aqueles homens estavam acostumados ao estrelato; eram amantes dos primeiros lugares nas sinagogas. Esperavam que João fosse alguém mais importante. Eles o ouviriam com certeza se fosse tal pessoa; dariam a ele crédito e seriam seus amigos e aliados.
Mas aquela resposta de João os desistimulou fortemente. Ele se denominara simplesmente de "a voz".

Vivemos dias iguais a esses onde as pessoas para serem ouvidas precisam ser importantes; precisam estar na televisão, no rádio, na internet, etc.
As pessoas sempre esperam mais daquele com os quais se associam. Querem estar associadas a pessoas importantes, ouvi-las, segui-las.
João tinha a maior mensagem e o maior ministério profético de todos os tempos, porém ele não era ninguém importante; ele não se achava importante. Importante de fato era a mensagem que trazia. Essa era a sua missão. Importante era aquele de quem a mensagem se referiam; tão importante que o próprio João diz: "após mim vem um que é mais poderoso do que eu, cujas as sandálias eu não sou digno de levar". Em outra ocasião disse: "importa que Ele cresça e que eu diminua".
Diferente de nós hoje, João não atraia para si a popularidade, não se colocava como alguém importante, não destaca sua pessoa em detrimento de sua missão. Para João a missão é que era importante; ELE ERA APENAS A VOZ. Uma voz que clamava no deserto.

Essa mensagem vem para nossos dias contra aqueles que precisam aparecer para ser, precisam vincular a mensagem a sua propria pessoa. Como se ela precise deles para ser eficaz, poderosa e realizadora.
Oxalá aprendamos a mensagem do Batista e sejamos simplesmente a voz. Uma voz que clama no deserto das desilusões humanas, de suas falácias e desesperanças. Uma voz que cumpra a sua missão, seja na verdade a missão; e desapareça diante da grandeza daquele que é PODEROSO.

Em tempos de ressurgimento do humanismo, que transforma líderes na mensagem, homens em deuses arrogantes; deveríamos aprender a mensagem de João. Ser a voz é dar expressão ao que realmente é importante. Ser a voz é entender nossa real posição na missão de Cristo. Ser a voz é ser humilde o bastante para entender que somos simplesmente portadores de uma mensagem poderosa, vinda de um Deus poderoso; que na sua infinita misericórdia nos usa como vasos de barros imperfeitos.
Pois esta é a nossa Missão! Missão dos que se tornaram filhos de Deus. Anunciamos o poder de Jesus, que veio à Terra para mudar a sorte de todos que vivem no deserto de uma vida sem Deus.

6 comentários:

  1. Pr. Levi
    Lindo demais. Fiquei até "sem voz"!!!

    ResponderExcluir
  2. Caro.
    Menino de Jesus.
    Suas palavras sempre edificando o corpo de Cristo.
    Sempre servindo o melhor da mesa do Pai.
    O Senhor confia neste menino o.
    Ama muito a sua vida.
    Pois e muito bom telo por perto.
    O Senhor e Contigo.
    Muito Obrigado.
    Wilson Menino.

    ResponderExcluir
  3. Hello, hello. É disso que estou falando.

    Muito boa. Deus te abençoe, pastor.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Através da análise do discurso podemos perceber o estrelismo de pessoas por trás de um discurso de aparente humildade, denunciado pelas entrelinhas. Esse negócio de redes sociais diz-nos muito sobre muita gente que vai além da divulgação de seu ministério – que, diga-se de passagem – é justo. Tais pessoas colocam-se, elas mesmas, como se fossem o próprio oráculo e realizassem as obras do Espírito Santo sem a maior fonte de inspiração. Fiquemos com as palavras de Nicodemos : “sabemos que ninguém faz estes sinais se Deus não for com ele.” Vamos celebrizar a máxima do Mestre: “sem mim nada podereis fazer.”

    Em Cristo,

    ResponderExcluir